Skip to main content

Biomonitoramento de micotoxinas em suínos

By January 12, 2023January 22nd, 2024PT
Tempo de leitura : 3 minutes

Avaliar a exposição dos animais a micotoxinas é importante para gerenciar o risco de micotoxinas, uma abordagem clássica para avaliar a exposição dos animais consiste em verificar a contaminação nos alimentos dos animais.

No entanto, o monitoramento de micotoxinas em rações tem algumas limitações, relacionadas à distribuição desigual de micotoxinas nas mesmas ou porque não reflete a exposição individual. Diante disso, o estudo da presença de micotoxinas em matrizes biológicas (urina, fezes, sangue), também chamado de biomonitoramento, pode ser uma opção. Quando se trata de suínos, o desoxinivalenol (DON) e a zearalenona (ZEN) são os mais estudados.

Estudos sobre o ZEN indicam que os níveis urinários de ZEN e seu metabólito de fase I α-zearalenol têm uma boa correlação com os níveis de ração de ZEN, tornando-os biomarcadores adequados de exposição ao ZEN em suínos.

Estudos de DON mostram uma boa correlação entre os níveis de alimentação de DON e os níveis urinários e séricos de DON e DOM-1. Assim, sua análise na urina e no soro são biomarcadores adequados de exposição a DON em suínos.

Glucuronides conjugate of both ZEN and DON could also be candidate markers, but their quantification has more analytical constraints. No relevant biomarker of ZEN and DON exposure was identified in the feces of pigs.

When it comes to multi-mycotoxins biomonitoring, urine seems to be the most suitable matrix to obtain a good dose-response correlation, especially for DON and ZEN. This model could be used for mycotoxin detoxifying agents’ efficacy evaluation in pigs. The choice of suitable biomarker, matrix, and sampling time plays the most important role in adequate exposure assessment, and the interpretation of the results cannot be done without the corresponding feed analysis. All this considered, biomarkers as a diagnostic tool are only possible within scientific trials.

 

O conjugado de glucuronidos de ZEN e DON também pode ser um marcador candidato, mas sua quantificação tem mais restrições analíticas. Nenhum biomarcador relevante da exposição a ZEN e DON foi identificado nas fezes de suínos.

Quando se trata de biomonitoramento de multimicotoxinas, a urina parece ser a matriz mais adequada para obter uma boa correlação dose-resposta, especialmente para DON e ZEN. Este modelo poderia ser usado para a avaliação da eficácia de agentes desintoxicantes de micotoxinas em suínos. A escolha do biomarcador, da matriz e do tempo de amostragem adequados desempenha o papel mais importante na avaliação adequada da exposição, e a interpretação dos resultados não pode ser feita sem a análise correspondente dos alimentos para animais. Considerando todas essas informações, os biomarcadores como ferramenta diagnóstica só são possíveis dentro de ensaios científicos.

Referência: Tkaczyk and Jedziniak, 2021. Mycotoxin Biomarkers in Pigs—Current State of Knowledge and Analytics. Toxins, 13, 586.https://doi.org/10.3390/toxins13080586

Leave a Reply